terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Congresso da Federação Oeste Riograndense de SAF's

Congresso da Federação Oeste Riograndense de SAF's

O 14º Congresso da Federação Oeste Riograndense de SAF's aconteceu em Alexandria nos dias 09 a 11 de dezembro. 
A Diretoria Eleita para 2012 é a seguinte:
Presidente: Vanusa Costa.
Vice-presidente: Dilma Andrade.
Secretaria Executiva: Elineuma Zuza.
Primeira Secretaria: Alcione Costa.
Segunda Secretária: Marlene Teodósio
Tesoureira: Kilza Pimentel.

Parabéns para a diretoria eleita para 2012!

Senhoras e Senhores, amigos, e irmãos.
Parece que quando nós temos que escrever algo como artigos e discursos, as idéias acabam. Milhares de coisas tornam-se mais importantes e ocupam espaço na nossa mente. Aquele espírito, chamado “inspiração” desaparece por completo. Um emaranhado de estatísticas e números e frases. Resolvi então seguir outro caminho. Parei, pensei... Por que eu me meti nisso? Por que, há 16 anos, eu encontro tempo, vontade, energia, para me dedicar a um trabalho que não me remunera o suficiente para passar por tantas coisas, um trabalho que é difícil de explicar para todo mundo. Um trabalho intenso, no qual damos o nosso melhor, mas que às vezes nos submete a ser criticados e até ofendidos. O que nos leva a passar um dia todo sob sol forte, na porta dos lobos, pedindo que tenham uma atitude de gratidão a Deus por suas vidas, e que se arrependam para perdão dos seus pecados e tendo uma porção deles que nem olham na nossa cara. Meu Deus, o que nos leva a passar por isso? O que nos leva a, apesar dessas adversidades, gostar, ser apaixonado por isso? é o fato de termos o CHAMADO EFICAZ, é o fato de termos a convicção desse chamado. Porque é satisfatório ver como Deus esta trabalhando na IPB nos últimos anos, escolhendo e enviando pessoas simples para fazer a sua vontade.
 A eleição da presente diretoria resulta da convergência de vontades e de uma trajetória construída nesta entidade a partir do trabalho em cada igreja local, do qual me orgulho e me imponho o dever de honrá-las nas suas tradições de luta, de superação e, sobretudo, de compromisso com os valores espirituais.  Que Deus esteja no controle das atividades da SAF para os próximos anos. Parabéns a toda diretoria que esta na incumbência de continuar fazendo a diferença para a gloria de Deus! Pb. João Batista de Lima
Para a nossa alegria e agradecimento ao Senhor, no dia 28 de dezembro de 2011 acontecera o culto de organização da Igreja Presbiteriana em Caraúbas/RN. Graças a Deus por mais esta conquista, a IPB de Caraubas tem como Pr. Oficial o Rv. Marcos Severo de Amorim e o Rv. Giovanni Almeida como seu auxiliar. Eu me sinto honrado por ter feito parte desta historia tendo pastoreado aquela Igreja por algum tempo, minha oração a Deus é que a sua obra continue a crescer i que os que ainda não estão conseguindo ver as maravilhas do Senhor acontecendo, que se despertem para se alegrar conosco nestes momentos de alegria e de Gratidão a Deus por sua bondade. Deus abençoe ao Rv. Giovanni Almeida e a todos que fazem a IPB em Caraúbas.
Pb. João Batista de Lima

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

COPA DE FUTSAL EDUCARTE REGULAMENTO


COPA DE FUTSAL EDUCARTE
 MASCULINO
Regulamento Geral
CAPITULO I – DA ORGANIZAÇÃO
Art 1º Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as disputas da
COPA DE FUTSAL.
Art 2º A COPA DE FUTSAL, é promovido pela Igreja Presbiteriana em Morada Nova/CE
Através do Programa EDUCARTE EM CRISTO.
Art  3º  São finalidades do Campeonato
- Proporcionar a participação dos jovens em atividades esportivas.
- Promover as interações e comunhão dos participantes dos jogos promovendo a Paz e a inclusão.
- Oportunizar o desenvolvimento da consciência para a prática de atividade física
Permanente como fonte de bem-estar.
Art 4º A COPA DE FUTSAL será disputado na categoria masculino e destina-se a equipes representativas das entidades evangélicas.
CAPITULO II – DATAS E LOCAIS
Art 5º A COPA DE FUTSAL será realizado  
Dias 04 e 05 de fevereiro no período da manhã tarde e noite,
a partir das 08 horas da manhã até as 22 horas do dia 04 e dia 05 encerramento a tarde. 
Art 6º Os jogos da  COPA DE FUTSAL serão  realizados no
Ginásio de Esportes do Campus Universitários de Morada Nova.  
CAPITULO III – DATAS DAS INSCRIÇÔES
Art 7º As inscrições deverão ser realizadas no período de 01/12/2011 a 01/02 de 2012 na residência do Pr. João Batista ou pelo fone: 8896940012
CAPITULO IV – TAXAS 
Art 8º Para participação no Campeonato serão cobradas taxas de inscrição e de arbitragem
nos seguintes valores:
- Taxa de Inscrição: R$ 40,00 (quarenta reais) por equipe.
- Taxa de Arbitragem: R$ 10,00 (dez reais), sendo obrigatório o pagamento do
Total de todos os jogos programados sem direito a devolução daqueles que cancelarem.
CAPITULO V – REQUISITOS PARA INSCRICAO
Art 8º São condições para a inscrição dos jogos:
- Estar de acordo com presente regulamento
- Cada entidade poderá formar quantas equipes desejarem, obedecendo ao artigo 09 do
presente regulamento. 
- Entregar uma relação (anexo 1) contendo o nome do atleta inscrito e a idade onde poderão ser relacionados até 12 (doze) atletas.
- Apresentar o comprovante de pagamento da taxa de inscrição.
Art 9º E condição indispensável para a inscrição ser consciente das obrigações com este regulamento.
Art 10º As substituições ou inscrição de novos atletas poderão ser efetuadas até 48 horas
antes do inicio do jogo programado.
Obs. Para realizar as substituições é necessário a entrega na Coordenação do Torneio,
localizado na residência do Pr. João Batista e a  ficha de substituição (anexo 2),
devidamente assinada pelo  responsável credenciado da equipe.  Esta ficha é o único
documento aceito na substituição de atletas.
Art 11º O atleta que tenha participação em jogo valido pela copa em questão por uma
equipe não poderá se inscrever por outra.
CAPITULO VI – CONDICÕES DE PARTICIPAÇÃO
Art 12º É condição de jogo do atleta alem do previsto neste capitulo, apresentar um dos
seguintes documentos de fé publica ou Carteira Acadêmica.
- Carteira de Identidade (RG)    - Carteira Profissional.               
Art 13º E condição de jogo da equipe participante:
-Apresentação do comprovante de pagamento da taxa de arbitragem.
- Apresentar-se devidamente uniformizado, sendo camisas e calções iguais, em suas
cores e modelos, sem os quais não poderão participar do jogo.
CAPITULO VII – DERETORIO TECNICO
Art 14º O Diretorio Técnico será realizado no dia 09 de janeiro de 2012 às 19:30 horas no
Templo da Igreja Presbiteriana do Brasil – IPB, sendo obrigatória a participação do
Representante equipe.
Art 15º Cada equipe inscrita credenciara até 3 (três) pessoas  para que uma desta
Obrigatoriamente esteja presente durante o Diretório técnico.  A não participação no
Diretório Técnico implicara no cancelamento da inscrição da equipe sem direito a
devolução da taxa de inscrição (Com Exceção das equipes de outras cidades).
CAPITULO VIII – REGULAMENTO TECNICO
Art 16º O Regulamento Técnico e as formas de disputa da competição serão definidas no
Diretório Técnico, de acordo com o numero de equipes inscritas.
CAPITULO IX – PREMIAÇÃO
Art 17º De acordo com a classificação obtida, serão realizadas as equips e atletas os seguintes
prêmios de posse definitiva:
- Troféus e medalhas para equipes classificadas até o segundo lugar.
- Troféu ao goleiro menos vazado (entre os participantes das semi-finais)
- Troféu ao artilheiro da competição.
CAPITULO X – COMISSAO DE JUSTICA E DISCIPLINA DESPORTIVA
Art 18º A fim de apreciar e julgar as ocorrências disciplinares d COPA DE FUTSAL funcionara uma Comissão de Justiça e Disciplina, que utilizara o poder de Justiça Desportiva para tomar decisões quando assim for necessario.
Art 19º A comissão de Justiça e Disciplina Desportiva será composta pelo Administrador e
Coordenadores de Promoções e Pratica Esportiva a serem escolhidos pela Coordenação do Campeonato.
Art 20º O Presidente, Vice-presidente e o Secretario da Comissão de Justiça e Disciplina
desportiva serão eleitos em sua primeira reunião, por livre escolha dos seus membros.
Art 21º A Comissão de Justiça e Disciplina somente poderá funcionar estando presente no 
mínimo 3 (três) membros.
Art 22º A Comissão de Justiça e Disciplina e órgão soberano, não cabendo qualquer recurso
de suas decisões.
Art 23º O enquadramento nas faltas e as penas aplicadas a cada uma delas constarão do
Regimento Interno da Comissão de Justiça e Disciplina.
Art 24º As penalidades impostas pela Comissão de Justiça e Disciplina deverão ser cumpridas
rigorosamente, sob pena de desclassificação do curso.
CAPITULO XI – DISPOSIÇÕES GERAIS
Art 25º Os árbitros e auxiliares dos jogos serão escolhidos e determinados pela Coordenação
de modalidades e em nenhuma hipótese poderão ser recusados.
Art 26º A escala de jogos será formalizada e divulgada através de Boletins Oficiais. È dever e
responsabilidade das equipes participantes, através de seu (s) representante (s) credenciado  a
retirada dos Boletins Oficiais na coordenação do campeonato.
4Art 27º Haverá uma tolerância de 15 (quinze) minutos para o inicio do primeiro jogo de
cada rodada, não havendo tal para os demais.
Art 28º A equipe que não se apresentar aos árbitros designados, no horário e local
estabelecidos pela Coordenação para realização das disputas, será desclassificados da
competição, alem de ter os resultados obtidos cancelados.
Art 29º E expressamente proibido aos atletas, bem como aos dirigentes e toda pessoa que
adentrar a quadra de jogo, o uso de qualquer tipo de agressão, seja física ou seja verbal acometendo assim, sua equipe a desclassificação.
Art 30º O órgão promotor e executor dos Torneios não se responsabilizarão com acidentes
ocorridos com acadêmicos ou por este ocasionado a terceiros, antes, durante ou depois das
competições.
Art 31º Os casos omissos a este Regulamento serão solucionados pelo Coordenador Geral e
Coordenador Técnico.
 Pr. João Batista de Lima

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

6º ANIVERSARIO DA IPB EM ANTONIO MARTINS!

6º ANIVERSARIO DA IPB EM ANTONIO MARTINS!
Parte da IPB de Caraúbas juntamente com seu pastor Giovanni Almeida participou das festividades alusivas ao 6º de aniversario da IPB em Antonio Martins. O pregador foi o Reverendo Marcos Severo de Amorim, Foi momentos de alegria e de comunhão dos irmãos na noite do dia 13 e Deus nos abençoou com momentos de reflexões sobre o ano que esta findando e para nos esforçamos em cumprir com o nosso dever como Cristãos ortodoxos no novo ano que se inicia. Que Deus continue abençoando esta amada igreja e seu Pr. Claudio e a Missionária Magally. Sábado dia 17 a UPH e a SAF estará realizando um culto evangelístico no conjunto Maria Bandeira, neste ano de 2011 estas duas entidades andaram de mãos dadas sempre procurando levar a Palavra de Deus aos necessitados! Que o bondoso Deus nos ajude a cumprir com o seu IDE!   

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Salvação: dádiva de Deus e não conquista do homem

Pastoral
Salvação: dádiva de Deus e não conquista do homem
A salvação não é um prêmio que recebemos por causa das nossas obras, mas um presente que recebemos por causa da graça. Não conquistamos a salvação pelo nosso esforço, recebemo-la pela fé. Não é resultado do que fazemos para Deus, mas do que Deus fez por nós. Falando a Nicodemos, Jesus destacou essa verdade axial no versículo mais conhecido da Bíblia: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Nesse versículo nós encontramos sete verdades preciosas acerca dessa tão grande salvação.
Em primeiro lugar, a salvação é grande pela sua procedência. “Porque Deus amou…”. O Deus Todo-poderoso, criador do universo e sustentador da vida tomou a iniciativa de nos amar, mesmo antes da fundação do mundo. Seu amor por nós é eterno, deliberado, autogerado e incondicional. Deus não nos amou por causa dos nossos méritos, mas apesar dos nossos deméritos. A causa do amor de Deus não está em nós, mas nele mesmo.
Em segundo lugar, a salvação é grande pela sua amplitude. “Porque Deus amou ao mundo…”. Deus amou as pessoas de todos os tempos, de todas as raças, de todos os lugares, de todas as classes e de todos os credos. Amou não aqueles que o amavam, mas amou-nos quando éramos fracos, ímpios, pecadores e inimigos. Amou-nos não porque correspondíamos ao seu amor, mas amou-nos apesar de nossa rebeldia.
Em terceiro lugar, a salvação é grande pela sua intensidade. “Deus amou ao mundo de tal maneira…”. Essa expressão de “tal maneira” aponta para o amor singular, incomparável e superlativo de Deus. Seu amor não foi apenas falado, mas demonstrado. Demonstrado não com cenas arrebatadoras, mas com o sacrifício supremo. O amor de Deus não foi esculpido com letras de fogo nas nuvens, mas demonstrado na cruz.
Em quarto lugar, a salvação é grande pela sua dádiva. “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito…”. Deus não deu ouro e prata nem mesmo um anjo para a nossa redenção. Deus deu tudo, deu a si mesmo, deu o seu único Filho. Deu-o para que ele se esvaziasse e vestisse pele humana. Deu-o para que seu Filho fosse rejeitado e desprezado entre os homens. Deu-o para que seu Filho suportasse o escárnio das cusparadas e suportasse a maldição da cruz. Deu-o como sacrifício para o nosso pecado.
Em quinto lugar, a salvação é grande pela sua oportunidade. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê…”. A salvação não é recebida como fruto do merecimento, mas como resultado da graça mediante a fé. A salvação não é dada àqueles que se julgam santos nem àqueles que praticam boas obras com o propósito de alcançarem o favor de Deus. A salvação é oferecida gratuitamente àqueles que crêem em Cristo. Não é crer em anjos nem em santos, mas crer em Jesus, o Filho de Deus. Jesus é o caminho para Deus, a porta do céu, o único mediador que pode nos conduzir ao Pai.
Em sexto lugar, a salvação é grande pela sua libertação. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça…”. A salvação é o livramento da ira vindoura, é a soltura das cadeias da morte, é a alforria dos grilhões do inferno. Aqueles que permanecem incrédulos perecerão eternamente. Aqueles que se mantêm rebeldes contra o Filho jamais verão a vida nem desfrutarão do paraíso de Deus. Aqueles que não beberem da Água da Vida, terão que suportar o fogo que nunca se apaga.
Em sétimo lugar, a salvação é grande pela sua oferta. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna”. Deus não apenas livra da condenação os que crêem, mas também oferece a eles vida eterna. A vida eterna é uma perfeita e íntima comunhão com Deus pelo desdobrar da eternidade. A vida eterna será como uma festa que nunca mais vai acabar, no melhor lugar, com as melhores companhias, com a melhor música, com as melhores iguarias, trajando vestes alvas. Enquanto a eternidade durar, desfrutaremos dessa gloriosa vida. Bendito seja Deus por tão grande salvação!

Rev. Hernandes Dias Lopes

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Amar a Deus no sofrimento

Por João Batista de Lima

igreja na terra precisa estar e lutar em fraqueza, miséria, pobreza, medo, morte, humilhação e vergonha. Pois a situação de aperto certamente fará com que você saia de si mesmo e deixe de confiar em orientação, ajuda e força de homens, e tenha Cristo no coração e considere o seu nome, sua palavra e o reino de Deus as coisas mais importantes, caras e valiosas do mundo. 

Quem não faz assim, antes ama a sua própria vida, honra e poder pessoal, bem com a estima, amizade, prazer e alegria do mundo mais do que aquilo, para este de nada vale o que está sendo dito aqui. Como o próprio Cristo diz um pouquinho adiante: “Quem não me ama, não guarda as minhas palavras”.

Não se trata, porém, de um amor que se limita a palavras. Precisa ser um amor que se manifesta em obras, com a expressão “guardará a minha palavra” indica. Porque o verdadeiro amor se caracteriza por fazer tudo pelo amado. Ao verdadeiro amor nada é difícil demais de ser padecido ou suportado; ele faz tudo com alegria.

Se realmente a inexprimível bondade de Deus nos calasse bem no fundo do coração, com certeza, nada nos seria incômodo ou pesado demais de padecer e suportar por causa dele, desde que permaneçamos em seu amor. Eis o que significa não apenas gostar de ouvir sua palavra, mas, também, guardá-la e ser vitorioso.
 Por Martinho Lutero

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O Pr. Giovanni Almeida será homenageado

 O Pr. Giovanni Almeida será homenageado Pela Câmara municipal de Campo Grande
 O Pr. Giovanni Almeida, natural de Caraúbas/RN, receberá, nesta sexta-feira 02 de dezembro, o título de Cidadão de Campo Grande, por proposição de vereadores daquela cidade. A entrega ocorrerá às 16h. Pr. Giovanni é um dos ícones da Igreja Presbiteriana do Estado do Rio Grande do Norte, em seu período em Campo Grande, deu uma significativa contribuição para a conquista dos evangélicos em um contexto de catolicidade ao extremo.
A Câmara de Vereadores de Campo Grande esta de parabéns por desta vez ter acertado na escolha de quem realmente faz a diferença na organização de uma sociedade ortodoxa!
Parabéns Reverendo Giovanni. Você é merecedor deste reconhecimento! João Batista de Lima

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

ANTES QUE 2011 ACABE

 
Queridos amigos,
A vida avança rápido. Se não tomarmos tempo para fazer um relato das providências de Deus, as esqueceremos. Se não separarmos tempo para dizer “obrigado” àqueles que investiram em nós, na verdade cultivamos um espírito de ingratidão em nossos próprios corações. Aqui vai uma pequena prática que me ensinaram e que quero compartilhar com vocês. Todo ano, durante a última semana de dezembro, faça duas coisas:
I. Recapitule e faça um relato das muitas providências de Deus
“Escreve a visão, grava-a em tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo” (Habacuque 2.2).
Primeiro, marcando em pontos simples, recapitule os eventos chave para cada semana ou mês do ano. Tome tempo para pesquisar, o que lhe ajudará a recorrer à sua memória e lhe permitirá fazer um registro preciso. Rever as faturas, as notas pessoais, os diários, os títulos das revistas, as cartas e inclusive organizar suas fotografias cronologicamente são ferramentas tremendamente úteis. Aqueles que foram fiéis em tomar notas pessoais ou manter um diário terão poucos problemas reconstruindo os eventos chave. Permita-se uma boa semana para sua própria recapitulação do ano. Ademais, convertendo isto em uma tarefa em família, você não só elaborará sua lista com mais velocidade e precisão, mas (nas mãos de um pai de família amoroso) o próprio ato de fazer um relato das providências de Deus em sua vida será uma ferramenta bendita para o discipulado em família.
Toda a família terá um conjunto diferente de prioridades que servirão para dirigir o que se deve registrar. Além de registrar cronologicamente os eventos e providências chave do ano, trato de tomar o tempo com minha família para registrar parte da seguinte informação em listas separadas por pontos:
1. Para onde viajamos?
2. Quais foram os títulos e textos chaves dos sermões que preguei?
3. Quais livros ou artigos escrevi?
4. Quais projetos significativos para o lar levamos a cabo em 2011?
5. Quais foram as reuniões mais importantes do ano?
6. Que amizades especiais fizemos este ano?
7. Qual das crianças perdeu dentes e quantos?
8. Quem cresceu em estatura física e quanto cresceu?
9. Quem aprendeu a ler este ano?
10. Que dieta e regime de exercício físico mantive para honrar “meu templo”?
11. Que livros li? Lemos como família? Meus filhos leram?
12. Quais textos das Escrituras minha família memorizou?
13. Que pessoas amadas faleceram este ano?
14. Quais foram as grandes tragédias e perdas pessoais, ministeriais e nacionais?
15. Quais foram as grandes benções pessoais, ministeriais e nacionais do ano?
16. Quais foram meus fracassos e pecados mais significativos do ano de 2011?
17. Quais conflitos e assuntos não resolvidos estou levando para 2012?
18. Quais vitórias significativas, espirituais e práticas experimentei?
19. De que maneira tangível comuniquei gratidão àqueles que me abençoaram e que investiram em minha vida?
20. Quais são os dez temas principais de 2011 para minha família?
II. Diga “obrigado” àqueles que investiram em você
“Não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações” (Efésios 1.16).
Que aconteceu à pessoa que primeiro abriu para você as palavras de vida da Escritura? Onde está o amigo ou professor que acreditou em você e lhe ajudou a alcançar uma grande meta? E que é do mestre de Bíblia cujo manejo cuidadoso da Palavra lhe abriu novos panoramas de entendimento? Onde está o amigo que esteve com você tanto nas horas boas e nas ruins? Mais importante: o que você disse para sua mãe, que lhe levou em seu ventre, lhe amou e alimentou, ou ao pai que trabalhou para suprir suas necessidades e lhe pastoreou?
Qual foi a última vez que respondeu ao investimento deles em sua vida com gratidão, benção e inclusive dinheiro? Jesus não se lembra daqueles mal-agradecidos receptores de benção que simplesmente seguiram seu caminho sem demonstrar gratidão (Lucas 17).
Antes que o ano termine, faça uma lista de dois tipos de pessoas: A primeira lista com os nomes daquelas pessoas cuja vida, ministério, ou investimento pessoal em você tenha tocado ou mudado sua vida de maneira profunda. A segunda lista deve incluir aquelas pessoas que desempenharam um papel sumamente significativo em sua vida neste 2011.
Escreva uma carta breve e significativa a cada um deles. Seja específico em sua gratidão. Explique o que eles fizeram por você e porque foi importante. Mostre-lhes como foram um instrumento de benção da parte de Deus em sua própria vida. Ore por cada carta, pedindo a Deus que lhe conceda um rico entendimento das qualidades de caráter de cada indivíduo e sobre a maneira em que aquelas qualidades mudaram sua própria vida. Quando apropriado, inclua um cheque ou um símbolo especial de apreço que reflita seu desejo de mostrar-lhes, de maneira tangível, que reconhece que está em dívida com eles. Você não pode imaginar o gozo que isto dará a alguém que faz parte de seu passado e que poderá pensar que você estava esquecido. Dê generosamente e sem interesse de obter uma dedução no imposto de renda por caridade. Recomendo enfaticamente que envie dinheiro a seus pais. Tenha em mente que você nunca poderá devolver o investimento pessoal e financeiro que eles fizeram em sua vida, exceto através de seu testemunho de fidelidade, mantendo o pacto e a honra ao Senhor.
Além disso, seus filhos necessitam conhecer as pessoas que abençoaram seus pais. Necessitam que mamãe e papai sejam gratos e generosos. Compartilhe suas cartas com eles. Eles precisarão de um dia ou dois para completar esta tarefa. Talvez você tenha de escrever vinte cartas, porém nunca se arrependerá de dizer “obrigado”.
Um último pensamento: Uma razão pela qual generosamente os cristãos se acham limitados em sua visão, energia, e bênçãos é que, contrariando o mandamento do Senhor, somos ingratos, estamos cheios de amargura e nos falta perdoar. Muitos que professam o nome de Cristo passam mais tempo obcecados com aqueles que lhes fizeram o mal do que se regozijando naqueles que lhes abençoaram. As cartas e as expressões tangíveis de gratidão não somente agradam a Cristo mas são um antídoto para os males do coração.
Conclusão
À medida que se aproxima o 2012, tome tempo para recordar e dizer “obrigado”. É apropriado que façamos isto na véspera de nascimento do novo ano. Recorde que Deus deu ao homem as estrelas no quarto dia, em parte para que pudesse ordenar e estruturar seus dias baseando-se em um sistema de relógio/calendário de dias, estações e anos (Gênesis 1). Ele nos disse que “recordemos” os atos e que “numeremos” nossos dias. Na Escritura, o ato formal de recordar as providências de Deus em nossa vida está associado com a esperança, a honra e o êxito em perpetuar as gerações (e.g., Salmos 44, 78 etc). Em Fevereiro de 2012, o ano de 2011 será uma nota distante. Golpeia agora enquanto o ferro está quente. Pode ser que a oportunidade de recordar e dizer “obrigado” não apareça nunca mais.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Aniversário de 14 anos da UPH

No Dia 5 de Novembro de 2011, Sábado e respectivamente a Igreja Presbiteriana do Brasil em Caraúbas esteve em festa com o aniversário dos 14 anos da UPH-União Presbiteriana de Homens, sociedade dos trabalhos masculinos, a festa foi celebrada com a pregação da palavra de Deus e o incentivo para todos desta entidade. O presidente reeleito Eduardo Paulo da Silva, agradece a SAF e a IPC Pelo apoio neste ano e se compromete a dar continuidade as atividades neste novo mandato em 2012.
Que o Nosso Senhor a cada dia possa nos dar sabedoria, saúde, discernimento, coragem, para alargarmos nossas fronteiras, não apenas a física, mas também a espiritual. Pb. João Batista de Lima

Adoradores ou consumidores

Em certa ocasião o Senhor Jesus teve de fazer uma escolha entre ter 5 mil pessoas que o seguiam por causa dos benefícios que poderiam obter dele, ou ter doze seguidores leais, que o seguiam pelo motivo certo (e mesmo assim, um deles o traiu). Em outras palavras, uma decisão entre muitos consumidores e poucos fiéis discípulos. Refiro-me ao evento da multiplicação dos pães narrado em João 6. Lemos que a multidão, extasiada com o milagre, quis proclamar Jesus como rei, mas ele recusou-se (João 6.15). No dia seguinte, Jesus também se recusa a fazer mais milagres diante da multidão pois percebe que o estão seguindo por causa dos pães que comeram (6.26,30). Sua palavra acerca do pão da vida afugenta quase que todos da multidão (6.60,66), à exceção dos doze discípulos, que afirmam segui-lo por saber que ele é o Salvador, o que tem as palavras devida eterna (6.67-69).

O Senhor Jesus
 poderia ter satisfeito às necessidades da multidão e saciado o desejo dela de ter mais milagres, sinais e pão. Teria sido feito rei, e teria o povo ao seu lado. Mas o Senhor preferiu ter um punhado de pessoas que o seguiam pelos motivos certos, a ter uma vasta multidão que o fazia pelos motivos errados. Preferiu discípulos a consumidores.

Infelizmente,
 parece prevalecer em nossos dias uma mentalidade entre os evangélicos bem semelhante à da multidão nos dias de Jesus. Parece-nos que muitos, à semelhança da sociedade em que vivemos, tem uma mentalidade de consumidores quando se trata das coisas do Reino de Deus. O consumismo característico da nossa época parece ter achado a porta da igreja evangélica, tem entrado com toda a força, e para ficar.

Por consumismo
 quero dizer o impulso de satisfazer as necessidades, reais ou não, pelo uso de bens ou serviços prestados por outrem. No consumismo, as necessidades pessoais são o centro; e a “escolha” das pessoas, o mais respeitado de seus direitos. Tudo gira em torno da pessoa, e tudo existe para satisfazer as suas necessidades. As coisas ganham importância, validade e relevância à medida em que são capazes de atender estas necessidades.

Esta mentalidade tem permeado, em grande medida, as programações das igrejas, a forma e o conteúdo das pregações, a escolha das músicas, o tipo de liturgia, e as estratégias para crescimento de comunidades locais. Tudo é feito com o objetivo de satisfazer as necessidades emocionais, psicológicas, físicas e materiais das pessoas. E neste afã, prevalece o fim sobre os meios. Métodos são justificados à medida em que se prestam para atrair mais freqüentadores, e torná-los mais felizes, mais alegres, mais satisfeitos, e dispostos a continuar a freqüentar as igrejas.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

CERIMÓNIA DE ENTREGA DE DIPLOMAS IPB Caraúbas, 30/10/2011

CERIMÓNIA DE ENTREGA DE DIPLOMAS
IPB Caraúbas, 30/10/2011
Pb. João Batista
 Antes de mais, gostaria de dizer que é uma honra enorme para mim poder falar-vos hoje, em representação dos alunos que participaram do curso de Hermenêutica I.
 Aproveito, desde já, para agradecer sinceramente ao presidente da UPH por me ter endereçado este convite para ministrar o curso e falar algo sobre os diplomados.
Permita-se-me que comece por saudar cordialmente o Pr. Giovanni Almeida, Pastor da referida Igreja e ao Pb. Lusivan que é o presidente diretor do IBR, englobo nesta saudação todos os demais membros do Corpo Docente da IPC.
Se muitas vezes, quase instintivamente, os estudantes  - e contra mim falo - dão a
Experiência na matéria como adquirida, encarando-a como se fosse mero degrau intercalar entre o ensino e a vontade de servir melhor a Deus, a verdade é que para
Que tal experiência se revele um marco importante na nossa formação Espiritual e na nossa
Vida dependeram, em larga medida, da qualidade e esforço dos que aqui trabalham
Para nosso benefício. E benefícios, caros irmãos, recebemo-los de sobra por parte desta Comunidade chamada de PRESBITERIANA. 
Por fim, cumprimento os convidados que nos honram também com a sua presença
Meus amigos Pb. Lusivan Holanda e sua esposa com sua filhinha, hoje celebramos a entrega dos diplomas de um período importante nas nossas vidas. Trabalhássemos para nos destacarmos, para termos os melhores resultados possíveis, para nos sentirmos úteis na Igreja local e ao ministério ao qual estamos servindo a Deus.
Também por estes dias, depois de um percurso que completamos com sucesso, chegando ao topo novamente começamos de baixo, desta feita na nossa vida em comunhão. Mas o que é diferente agora, para melhor, é que a escada que temos diante de nós não tem topo ou limite à vista; podemos e devemos continuar a subir sem limitação de meta ou de calendário rumo a desprendermos de nós mesmos para dedicarmos ao Senhor. E também é por isso que é importante estar na escada certa, desde o início. Essa escada, naturalmente, é a busca por santidade ao Senhor nosso Deus.
 A responsabilidade de fazê-lo, que é antes de  mais um privilégio, está do nosso lado.
Quando recebi o convite para vos dirigir um curso deste porte, e refletir sobre
aquilo de que poderia falar, percebi que, em boa verdade, não há muito que se  possa reter de um discurso como este. A maior parte dos discursos nas cerimônias de entrega dos diplomas centram-se em orientações motivacionais, dizendo que os
Alunos são o futuro, a promessa de amanhã, que vão mudar o mundo, etc. É sem dúvida bonito e inspirador, mas, alguém se dissera que “Para falar ao vento bastam palavras, para falar ao coração são necessárias obras”. 
Espera-se que, mais do que preparar alguém para o mundo real, como tantas vezes se ouve, seja ela mesma parte do mundo real. É um lugar onde esperamos encontrar todos os tipos de pessoas: boas pessoas,
 Pessoas que admiramos e que mudam a nossa vida para melhor, mas também por vezes
Pessoas menos boas, que nos desapontam ou desiludem. É um lugar onde aprendemos o que é trabalhar em equipe e a ter sucesso em grupo quando tentamos atingir a ambicionada nota elevada, mas em que ao mesmo tempo nos ajudamos mutuamente sem egoísmos.
 É um lugar onde aprendemos que temos que acreditar primeiro em Deus, e depois no nosso
Próprio valor antes de esperar que os outros o reconheçam. É um lugar em que também aprendemos a ser modestos, porque há sempre  alguém mais inteligente do que nós. 
Esperamos isso tudo de uma matéria tão profunda come é a Hermenêutica Bíblica.
Todos conhecemos aquela célebre frase do escritor americano Mark Twain, que diz que é melhor mantermos a boca fechada e deixarmos os outros pensar que somos estúpidos do que falarmos e eliminarmos qualquer dúvida a esse respeito. Se não posso negar que esta prudência é por vezes extremamente pertinente - e a frase
foi escrita num contexto particular
Pensar antes de falar é uma obrigação, mas não ter medo de questionar, duvidar, ou criticar, desde que com educação e respeito e suportado em boa argumentação, é tanto ou mais crucial para o sucesso e para a afirmação das nossas idéias próprias.
Parabéns aos diplomados! Pb. João Batista de Lima 

domingo, 30 de outubro de 2011

Marie Dentière: a Face Feminina da Reforma

O primeiro nome de uma mulher foi acrescentado ao monumento do Parque Bastions em Genebra no ano de 2002 durante as comemorações da Reforma. O nome de Marie Dentière aparece agora não apenas no muro em si, mas em um bloco de pedra ao lado dele.

Durante séculos, este personagem histórico não gozou da melhor reputação, isso para dizer o mínimo. Felizmente recentes pesquisas tem mudado radicalmente a imagem que nós temos dela. A reputação de Marie Dentière evoluiu de uma simples mulher briguenta inofensiva com um temperamento explosivo e inflexível para a de uma pessoa que, embora certamente não fosse típica dos primeiros dias da Reforma, também era uma das principais intelectuais deste movimento religioso: uma historiadora, educadora e astuta teóloga.

Neste sentido, gravar o nome dela no Muro da Reforma é um sinal da apreciação que agora nós podemos demonstrar por esta mulher que pagou tão alto preço pelo seu envolvimento no centro da Reforma Protestante: o preço do silêncio forçado e da reputação machada.

Marie Dentière nasceu na pequena nobreza de Flandres em 1490. Enquanto vivia em Tournai, onde se tornou abadessa do Convento Agostiniano da Abadia de Saint-Nicolas-des-près, ela se converteu à Reforma Luterana e abandonou o convento. Ela mudou-se para Estrasburgo e casou-se com o ex-padre, o famoso estudioso da língua grega, Simon Robert, com quem teve duas filhas. Em 1528 o casal mudou-se para Bex e em seguida para Aigle onde Simon Robert foi pastor até o ano de sua morte em 1532. Marie Dentière casou-se então com Antoniere Froment, 14 anos mais novo do que ela. Natural de Dauphiné, ela acompanhava seu compatriota, Guilherme Farel, um dos líderes da Reforma, particularmente em Neuchâtel, em campanhas evangelizadoras enquanto também assumia o púlpito de Yvonand. O casal mudou-se para Genebra no ano de 1535. Marie Dentière teve outra filha do seu segundo casamento: Judite.

Em 1536, Marie Dentière publicou Guerre et Deslivrance de la ville de Genesve (em português: “Guerra e Libertação de Genebra”). O livro revela a sua sólida instrução teológica e intelectual e seu bom domínio da Bíblia e da Lei Canônica.

Quando Calvino retornou a Genebra, o relacionamento entre o reformador e o casal deteriorou. Mas os motivos para briga em alguns aspectos contou com a ajuda de Farel que , no dia 4 de Fevereiro de 1538, escreveu para Calvino: “Froment não tem a habilidade necessária nem conhece suficientemente a igreja. Você sabe que ele age de acordo com a esposa dele mesmo quando ela não está manipulando ele”. No dia 6 de Fevereiro de 1540, Farel escreveu outra vez para Calvino, que ainda estava exilado em Estrasburgo: “Nosso Froment foi o primeiro que, seguindo a sua esposa, se transformou em um joio no meio do trigo”.

Nesta mesma época, Marie Dentière, que também era amiga e confidente da rainha Margarida de Navarre, escreveu Épître très utile (em português: “A Epístola Muito Útil”). Um escândalo para o seu tempo ao defender igual tratamento de homens e mulheres na habilidade para ler e interpretar as escrituras, o livro foi apreendido e Jehan Girard, que o imprimiu, preso.

Em 1540 Froment era pastor em Massongy nos Chablais quando o casal abriu um colégio interno para meninas na casa deles para das às três filhas de Marie e a outras meninas uma educação completa que incluía aulas de grego e hebraico!

Em 1561, ano em que Marie Dentièra faleceu, ela estava escrevendo o prefácio para um sermão de Calvino sobre como as mulheres deveriam se vestir que era mais que um panfleto teológico onde ela assinou ‘MD’.

Com compaixão e inteligência, Marie Dentière foi ao coração das questões religiosas de seu tempo. Por isso quando ela visitou o convento de Jussy no dia 25 de Agosto de 1536 para tentar, como outros o tinham tentado, convertê-lo à Reforma, Marie Dentière fez uma das mais belas declarações de fé: “Passei muito tempo na escuridão da hipocrisia”, disse ela. “Mas somente Deus foi capaz de fazer-me enxergar minha condição e conduzir-me à luz verdadeira”. Foi por aquela luz verdadeira que ela entendia a história de sua vida e no que se transformou a sua cidade, Genebra.
 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

IGREJA OU EMPRESA?

. A congregação da IPB em Caraúbas comemorou seus 16 anos de organização naquela cidade, quase todos os missionários que já trabalharam naquela Congregação estiveram presentes, por motivos justificáveis, não se fizeram presentes os missionários: Rv. Almeida e Pb. João Batista (eu). Mais o Rv. Guilhermino Cunha saiu satisfeito com os resultados daquele trabalho, o Rv. Marcos Severo elogiou a determinação e a dedicação dos amados irmãos naquela cidade. Parabéns ao Pr. Giovanni por todo o trabalho que vem realizando em Caraúbas e aos seus auxiliares, que Deus continue a abençoar os amados irmãos! Vamos refletir um pouco sobre este Tema: IGREJA OU EMPRESA? EM Atos dos Apóstolos 20. 28,29 temos uma palavra de Paulo para a Igreja daquela época e também para a Igreja de Hoje. A igreja não torna uma empresa sozinha, o “pastor” é quem a torna uma empresa. E quais são as motivações? Quando uma igreja se torna em empresa? 1. QUANDO AS PESSOAS SE TORNAM APENAS NUMEROS.  Para muitos o que determina a vocação é o numero, não importa a qualidade se tem numero é o que importa. 2. QUANDO A PREGAÇÃO É SUPERFICIAL. Onde se da as pessoas o que elas querem e não o que elas precisam, mais o que possam atrair para dentro dos templos. 3. QUANDO AS BENÇÃOS SÃO COMERCIALIZADAS. A empresa não prega a palavra fielmente, a empresa prega que o dinheiro é o objeto que pode comprar a felicidade.
4. QUANDO ELA DEIXA A DEPENDENCIA DO ESPÍRITO SANTO PELA PRATICA DE MARKET. O termo marketing possui várias definições, porém basicamente essa palavra vem associada ao mercado, à comercialização dos produtos e serviços. Um dos termos mais usados é o que define, como um processo social por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e o que desejam com a criação, oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com outros. 5. QUANDO O PASTOR ABANDONA O PULPITO PARA SER UM GERENCIADOR.  Este comportamento é o mesmo que apelar para a ignorância das pessoas que, de boa fé cedem ao gerenciador como se fosse para Deus os seus esforços. 6. QUANDO A ORAÇÃO NÃO É UM LOUVOR A DEUS. Nesse sentido, a oração deixa de ser um meio de ter uma comunhão profunda com Deus, mais sim, um meio de conseguir o que eu quero e não um louvor ao Pai celeste. A oração é uma disciplina que nos conduz a uma vida intima com Deus. 7. QUANDO A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL É MAIS IMPORTANTE DO QUE O ORGANISMO.  A idéia central reside no estudo analítico da relação contingencial entre características das organizações e requisitos do ambiente, com foco específico na conexão entre estratégia, estrutura e desempenho empresarial. As pessoas é o que menos importa, se elas estiverem trazendo lucro, então esta tudo bem. 8. QUANDO SE AGE MAIS CONFIADAMENTE NO DINHEIRO DOQUE NO EXCERCICIO DA FÉ. Neste caso para essas 
“empresas” o que vale é seu dinheiro, sua fé nem tanto se você esta contribuindo com esse negocio, então esta tudo bem. RESULTADOS NESSE NEGOCIO: 1. CONCORRENCIA. Essas igrejas precisam apresentar resultados a todo custo, e por isso, ocorrem às concorrências por números de membros, então vem a corrida para ver quem enche o templo mais cedo. 2. MODISMO. Andar na moda de todo vento de doutrina, procuram a “igreja” que tenha mais eventos atrativos, se a moda é o eu declaro, então vamos fazer porque estão dizendo que eu posso! 3. FROUXIDÃO DA DOUTRINA. Não se encontra doutrina nessas “igrejas” pois nem eles sabem o que significa doutrina. 4. NECESSIDADE DE ALTA AFIRMAÇÃO DO PASTOR. “Culto de libertação”, “levitas”, “cura interior”, “ato profético”, “adoração profética”, “mover de Deus”, “mover do Espírito”. O dialeto evangélico tem sido bombardeado por muitas palavras e expressões que, de tão batidas, tornam-se vazias. Novas palavras e expressões são inseridas a cada novo “mover de Deus”. E que Deus novidadeiro temos nesses últimos dias! A cada novo mover, novo jargão. Vemos um desfile de novas expressões tais como: “Eu tô na visão”, “é tremendo!”, “tá amarrado!”, “tá ligado!”. Não sabemos qual será a próxima onda, ou vento, mas temos certeza que, em breve, surgirão mais algumas frases feitas e palavras de ordem que mais parecem campanhas publicitárias. 5. FALTA DE UMA ECLESA. Igreja bíblica é um organismo e não uma organização é uma comunidade e não uma instituição.
O organismo da igreja bem ajustado e consolidado, pelo auxilio de toda junta, segunda a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor (Ef 4.16). O QUE É A IGREJA? I. ENTENDER QUE A IGREJA É O CORPO DE CRISTO. Não é uma empresa é algo que vai alem da compreensão. II. TER EQUILIBRIO. Ter equilíbrio entre crescimento e numero e, espiritualidade sadia. La na Igreja de Atos não havia cantor gospel, mais era lotada de crentes convertidos. É Deus quem atrai o homem para a salvação (Is. 45. 12,13). III. O PASTOR. O pastor deve ser conscientizar da dimensão do seu chamado. O Pr. Deve pregar e ensinar os desígnios de Deus, não uma mensagem a cardápio. Ele deve desafiar as pessoas a refletirem o preço de seguir a Cristo “negar a si mesmo”. Ele deve ter convicção da sua identidade, de onde ele veio e pra onde ele vai? Quem ele é? IV. RECONHECER A SUA POSIÇÃO. A posição do pastor deve ser a de ministro de Deus, do evangelho e não um administrador de uma empresa. A Igreja é de Deus, ela não é sua e nem minha (1Co 1 0.31). Sola Gratia! Pb. João Batista de Lima. 

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Festa de Formatura dos alunos do IBR (Instituto Bíblico do Rio Grande do Norte).

Festa de Formatura dos alunos do IBR (Instituto Bíblico do Rio Grande do Norte).
Concluintes: Emanuel Kywal (Assu) José Nazareno (Governador) Maria Vanusa da Costa (Caraúbas) Francisco Elisdembergue (Patu) Jean Abner (Antonio Martins) Raimundo Nonato (Martins) Clesmer Kleiton (Martins). O Destaque vai para Maria Vanusa da Costa por sua dedicação e pelo trabalho que vem sendo realizado na congregação do Aroldo Maia em Caraúbas/RN.
” O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. “ (Fernando Pessoa)
Essa frase de Fernando Pessoa Retrata bem o importante momento pelo qual estamos passando.
Intenso. Inexplicável. Incomparável. Assim foi esse tempo em que estivemos unidos. Um período no qual descobrimos o mundo da Teologia: estudamos, brincamos, aprendemos, sorrimos… Juntos, alunos e professores vivemos intensamente muitos momentos alegres, produtivos, positivos e inesquecíveis. Momentos esses que, sabemos, permanecerão em nossas vidas, como uma marca muito agradável em nossos corações. Cativamos e fomos cativados.
Responsabilidade aprendemos a ter também. Responsabilidade com nossas palavras, com nossas atitudes… com toda a nossa vida, enfim. Responsabilidade, ao contrário do que muitos dizem, é liberdade. Liberdade de consultar nosso próprio coração e de defender de maneira especial que somos totalmente dependentes de Deus, pois tivemos verdadeiras lições de uma arte chamada Teologia Reformada. Liberdade de trilhar veredas possí­veis e impossí­veis. Escolher o caminho da humildade. O futuro. Nosso Instituto nos preparou para isso. O que somos hoje é, em grande parte, fruto do caminho percorrido durante todos esses anos em nosso estimado IBR . Não temos medo do que virá.
É importante não nos esquecermos de onde viemos e que mudanças sofremos ao longo desses desafiadores e, muitas vezes, dolorosos anos. Dolorosos sim, pois assistimos a algumas tentativas de baixar o padrão de ensino desta instituição. Talvez não tenha sido pior graças a grandes professores que tivemos, que não só se preocuparam em cumprir suas obrigações, mas souberam defender a qualidade dos ensinamentos - cada um com sua abordagem sobre o que é eterno. Somos sinceramente gratos.
Tivemos a oportunidade de conviver. Com todo tipo de pessoas. Dentre elas, muitos alunos destacaram-se . Alguns como questionadores; outros, pela capacidade de expressão e liderança; outros primaram pela organização e pontualidade. Há também aqueles que foram verdadeiros exemplos de dedicação e persistência como é o caso de Maria Vanusa da Costa. E como não poderia faltar, aqueles responsáveis por alegrar todas as aulas e motivar os amigos.
Ah, as amizades… Essas, não precisamos nem comentar, pois sem dúvida são sinceras repletas de carinho e dedicação. E a todos esses queridos irmãos com quem não conviveremos mais mensalmente nessa nova fase da vida, só temos a dizer muito obrigado. Até mesmo nos momentos de adversidade, aprendemos. Aprendemos a ser mais humildes e a trabalhar em equipe.
E nesse momento tão importante, gostarí­amos de homenagear, Piter Walker Tenney, Rev. Djalma Bezerra(Nome da turma), Paraninfo: Rev. Dr. Guilherminio Cunha - Pastor da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro.  Orador oficial da Turma: Jean Abner Juramentista: Emanuel Kywal e Lusivan Holanda Montenegro diretor do IBR (Instituto Bíblico do Rio Grande do Norte).
. Estamos convictos de que todas essas experiências podem ser proveitosas para enriquecer nosso aprendizado como seres humanos e servem de modelo para o que devemos e o que não devemos repetir como Cristãos. Muito obrigado, mestres!
Para finalizar, gostarí­amos de enfatizar que esse momento não é um momento de tristeza porque nos despedimos. Não; esse é um momento de reflexão, de aceitação. De olhar para frente. Um momento de admitir que a vida de cada um de nós é feita de fases. Tudo muda. O mundo muda; mudamos nós. Amadurecemos. Nossas prioridades mudam e mudarão; nossa leitura de mundo, também. Devemos não nos entristecer porque as coisas acabaram, e sim agradecermos porque elas existiram. Aliás, nada aqui acabou; muito pelo contrário. Esse é tão somente o começo, o ponto de partida para uma geração com vontade e disposição para mudar as coisas. Mudar a realidade que nos cerca. Chegou a vez dessa geração, da nossa geração, mostrar para o mundo lá fora que tipo de ensinamento que recebemos. Chegou a hora e a vez de mostrar nossa cara, nossa cara de orgulho por ter sido aluno do INSTITUTO BÍBLICO DO RIO GRANDE DO NORTE.
Nossa formatura é um momento de orgulho em nossas vidas, um acontecimento feliz e inesquecí­vel, abrilhantado por momentos de profundo contentamento, alegrias e grandes esperanças para o futuro.
Obrigada, a todos que com alegria nos proporcionaram essa oportunidade de receber hoje, 12 de outubro de 2011. Este diploma que haveremos de honrar por onde quer que passemos!
Por Pb. João Batista de Lima em 13 de outubro de 2011! Soli Deo Gloria!!!
                                Maria Vanusa da Costa
                                  Turma de formandos
Rev. Djalma Vanusa e Lindalva esposa do Rev. Djalma, que foi homenageado com o nome da Turma de Formandos!
Parabéns a todos que se empenharam para este fim! Aos alunos professores e Diretor Lusivan Holanda e ao Pr. Marcos Severo pelo apoio dispensado a este amado Instituto. João Batista de Lima.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

IPC EM FESTA 16 ANOS DE VITÓRIAS

Na noite de ontem 09 de outubro, a IPC recebeu como pregador o Pb. Peter Tenney da Catedral do Rio de Janeiro. A mensagem foi pertinente aos nossos dias e 4 pessoas entregara-se a Cristo Jesus no final do culto. No dia 13 estaremos recebendo os missionários e pastores que ja pastorearam a IPC para a cebração ao Senhor de um culto de gratidão pelos 16 anos da IPC. o Pregador oficial será o Reverendo Guilhermino Cunha pastor da Catedral do Rio de Janeiro e Escritor. Esperamos receber as caravanas de Assu, Mossoró, governador de sept, Campo Grande Paraú, Apodi, Umarizal, Severiano Melo. e outras Igrejas de nossa cidade. Deus tem honrado o trabalho do Pr. Giovanni Almeida e os seus auxiliares como: Miss. Vanusa Costa Eduardo Paulo, Sebastião e outros. Que Deus nos de o privilegio de continuarmos defendendo a ordem e o compromisso com a obra missionária em Caraúbas e região!
"Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos" - João 15.8
 A frutificação na prática cristã não só trará glória a Deus, mas apresentará a melhor prova, em nosso coração, de que somos verdadeiros discípulos de Cristo.
 A certeza do nosso benefício em Cristo e da nossa consequente segurança eterna é um dos mais altos privilégios da fé. Sempre duvidar e sempre temer é uma ocupação deprimente. Em qualquer caso importante, nada é pior do que o suspense, e, mais do que tudo, no que tange à nossa alma. Quem quiser conhecer uma das melhores receitas para obter segurança deve se empenhar em estudar as palavras de Cristo postas agora diante de nós. Deve se esforçar para dar "muito fruto" em sua vida, hábito, temperamento, palavras e obras. Agindo assim, sentirá o "testemunho do Espírito" no coração e apresentará provas abundantes de ser um ramo vivo da Videira verdadeira. Encontrará na alma a evidência interna de que é filho de Deus, e encherá o mundo com indiscutíveis evidências externas. Não deixará espaço para a dúvida de que é um discípulo de Cristo.

Por que tantos crentes nominais sentem pouca consolação na fé que professam e seguem dominados pelo medo e pela dúvida no caminho para o céu? A resposta apresenta-se na sentença do Senhor que consideramos agora. Os homens se satisfazem com pequenas doses de cristianismo e poucos frutos do Espírito; não se esforçam para ser santos em todo seu proceder (1Pedro 1.15). Não é de admirar que desfrutem de pequenas doses de paz, tenham pouca esperança e quase não deixem evidências atrás de si. O mal está neles mesmos. Deus uniu a santidade com a felicidade, e aquilo que Deus uniu não devemos separar.

Pela graça de Deus, podemos fazer das leis de Cristo nossa regra de vida e mostrar diariamente nosso desejo de agradá-lo. Assim fazendo, nosso Mestre gracioso nos concederá a consciência permanente do seu favor e nos fará sentir o favor da sua face sobre nós, como o sol brilhante de um dia bonito. "A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança" (Salmos 25.14).
 Pb. João Batista de Lima

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Pastoral. A suficiência das Escrituras Hernandes Dias Lopes!

Pastoral
A suficiência das Escrituras
A Reforma do século dezesseis foi um divisor de águas na vida da igreja e também na história da humanidade. A Reforma não foi uma inovação, mas uma restauração. Não foi a abertura de um novo caminho, mas uma volta às veredas antigas. Não foi a introdução de um novo evangelho, mas uma volta ao antigo evangelho. A Reforma foi uma volta à doutrina dos apóstolos, um retorno ao Cristianismo puro e simples. As verdades enfatizadas na Reforma podem ser sintetizadas em cinco “solas”: Sola Scriptura, Sola Fide, Sola Gratia, Solu Christu e Soli Deo Gloria. Vamos destacar agora o Sola Scriptura.

Todas as igrejas cristãs creem nas Escrituras e aproximam-se dela como Palavra de Deus. Porém, nem todas têm o mesmo conceito das Escrituras. A Bíblia não apenas contém a Palavra de Deus, a Bíblia é a Palavra de Deus. A Bíblia não é uma dentre as regras de fé e prática, mas nossa única regra de fé e prática. Destacaremos, aqui, três pontos importantes para a nossa reflexão.

Em primeiro lugar, as Escrituras são inerrantes. Jesus Cristo foi enfático em dizer que as Escrituras não podem falhar. Ele disse, também, que a Palavra de Deus é a verdade. Não há erros nas Escrituras. Não há contradição nos seus registros. Seus relatos não são mitológicos. A Palavra de Deus é fiel e verdadeira e digna de inteira aceitação. Nem uma das palavras de Deus pode cair por terra. Nenhuma de suas promessas pode fracassar. Pode passar o céu e a terra, mas a Palavra de Deus não vai passar. Ela permanece para sempre. Suas profecias se cumpriram, estão se cumprindo e cumprir-se-ão à risca. Deus conhece a história antes de ela acontecer. O próprio Deus que inspirou as Escrituras é quem dirige os destinos da história.

Em segundo lugar, as Escrituras são suficientes. Nada pode ser acrescentado às Escrituras. Ainda que um anjo venha do céu e pregue outro evangelho, além do que está registrado nas Escrituras, deve ser decisivamente rejeitado. Há dois desvios perigosos com respeito às Escrituras atualmente. O primeiro deles é o liberalismo teológico. Os teólogos liberais não creem na infalibilidade nem na suficiência das Escrituras. Aproximam-se dela não com fé, mas com suspeitas; não com humildade, mas com insolência; não com submissão, mas com rebeldia. Atribuem às Escrituras muitos erros. Afirmam que ela está cheia de falhas e que seus relatos históricos estão repletos de contradição. Afirmam que seus milagres não passam de mitos. Esses paladinos do engano e arautos da incredulidade retiram das Escrituras o que está nas Escrituras, atraindo sobre si mesmos a merecida punição de seu erro. O segundo desvio é o sincretismo religioso. Há muitos crentes que olham para as Escrituras como um livro mágico, usando-a apenas como uma espécie de amuleto religioso. Não a estudam com profundidade nem a aceitam como a única regra de fé e prática. Estão sempre buscando novas revelações e correndo atrás de novos sonhos e visões para nortear-lhes os passos. Se os liberais removem das Escrituras seu conteúdo, os adeptos do sincretismo acrescentam às Escrituras suas novas visões e revelações. Desta maneira, ambas as posições são um sinal de rebeldia contra Deus e uma evidência de insolente apostasia. Não precisamos de novas revelações. Tudo que precisamos saber para a nossa salvação, santificação e serviço está contido nas Escrituras. Devemos conhecê-la, obedecê-la e proclamá-la com fidelidade e senso de urgência.

Em terceiro lugar, as Escrituras são eficientes. As Escrituras não são apenas inerrantes e suficientes, elas são também eficientes. Elas realizam todo o propósito de Deus. Elas não voltam para Deus vazia. Elas são mais preciosas do que o ouro e mais doces do que mel. Elas são não apenas inspiradas, mas também úteis para toda a correção, repreensão e ensino. É por meio delas que Deus chama seus eleitos. É por meio delas que Deus santifica seu povo. É por meio delas que Deus consola seus filhos. É por meio delas que Deus fortalece a sua igreja e a equipada para cumprir sua missão.
Rev. Hernandes Dias Lopes